Feeds:
Posts
Comentários

Archive for 7 de janeiro de 2011

 

 

Dia 6 é Dia de Reis.

Lembro-me de um ano em que me encontrava no litoral, não me recordo exatamente onde, que pude presenciar uma cerimônia no mar.

Em uma pequena barca, à frente de todas, seguiam tres potes medianos de madeira simbolizando o incenso, a mirra e o ouro; todos adornados com flores.

Logo atrás seguia outra barca transportando os Reis Magos devidamente paramentados e mantendo uma respeitosa postura, como convinha ao momento.

E finalmente um cortejo de pequenas embarcações, onde pessoas entoavam hinos exaltando a sabedoria, a fé e o amor.

 

Da praia pude ver que a uma determinada altura, no mar, para lá da onde as ondas quebram, as duas primeiras barcas se emparelharam e ao badalar de um pequeno sino, cada Rei Mago tomava de seu pote, erguia-o aos céus fazendo uma invocação ao divino, em favor da humanidade, espargindo seu conteúdo nas águas do mar.

 

Quando vi que as barcas faziam o caminho de volta, fiquei pacientemente aguardando e admirando aquele movimento de pessoas, desejos e cânticos misturados ao perfume do sol e à brisa do mar.

 

Os curiosos como eu, além do cortejo, formaram um corredor para que os Reis Magos, já em terra, passassem.

Quando aquele mago alto e negro como o ébano, em sua túnica bege esvoaçando como a brisa do deserto, aproximou-se da onde eu me encontrava, senti um arrepio pelo corpo.

Foi quando meus olhos encontraram-se com aquele profundo, úmido, vibrante e negro olhar.

Eis que ele estancou à minha frente, me sorriu e através de gestos pediu que eu estendesse uma das mãos.

Acanhada, estendi a mão direita e ele sorrindo disse Muito bom… a mão direita… a que vai sempre ao coração.

E nela depositou uma porção de um pó fininho, como areia mas dourado, e uma lasca pequenina de madeira.

Olhou-me novamente, agora com mais suavidade, dizendo Para tua edificação.

E se foi.

 

Nesta data é comemorado o Dia de Reis.

Dia que, por um significado muito íntimo, escolhi para inaugurar o meu blog.

Ele está completando seu primeiro aniversário.

Como uma criança pequena, ainda não sabe caminhar, apenas engatinhar.

Mas desde o primeiro momento de nascida, e muitas vezes em meio ao pranto,  já sabia balbuciar e sentir a palavra  AMOR.

 

 

Read Full Post »