Feeds:
Posts
Comentários

Archive for fevereiro \22\UTC 2016

Vaga Lembrança

escombros 2

 

 

Quando eu te amava

era mais feliz, mais risonha, mais leve

conversava com os pássaros e as hortênsias

deixava o vento brincar com meus cabelos e meus dedos

sorriam uns para os outros

quando folheavam algum livro colorido de criança

para adultos

.

Quando eu te amava

acordava no meio da noite

escancarava a janela e cantava com a lua

bebia as gotas de orvalho que brincavam

nas pétalas das flores

e nas ramagens

.

Quando eu te amava

andava descalça entre as pedras do jardim

e deixava que a grama fizesse carinhos molhados

e frescos nos meus pés

.

Quando eu te amava

saía no meio da tarde com minha varinha mágica

(escondida dentro da manga)

e sem que ninguém percebesse

dava vida a tudo que encontrasse e que estivesse seco

sem vida

.

Quando eu te amava

meus cabelos eram mais brilhantes mais sedosos mais longos

meu sorriso era farto

trazia entre os lábios um poema recitado com ardor

deste poeta que até hoje dorme na cabeceira

de minha cama

.

Quando eu te amava

andava assim como quem sempre está indo

encontrar alguém

na cadência de meus pés mostrava

a ansiedade daqueles que descobrem

a vontade de caminhar ainda mais

.

Quando eu te amava

você me chamava de Minha Deusa

beijava-me as mãos os olhos a boca

tirando-me os pés do chão

e os sentidos …

.

Naquele dia coberto por uma densa bruma

sem sol, sem brilho

sem palavras de ternura

partiste

.

Com tua espada, teu escudo

teu elmo abaixado para que não pudesse vislumbrar

meus olhos molhados

minhas mãos trêmulas

meus pés sem passos, colados ao nada

.

Daqui da onde estou

olhando os escombros de um castelo

que um dia supus ser de pedras sólidas e ferro

resta-me a vaga lembrança

do quanto te amei

 

 

Anúncios

Read Full Post »