Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘punhal’

palhaco4

 

 

Colisão de passos

nariz vermelho

estardalhaço

.

Peruca na mão

picadeiro escuro

fracasso

.

Amigos de saltos

e sustos

meu laço

sem amor e dinheiro

cansaço

.

Mas que mal faço

em pensar

em um punhal de aço?

.

Tentativas

outros passos

esperanças e abraços

me refaço

 

Anúncios

Read Full Post »

Fim

 

 

 

 

 

 

taca-quebrada

 

 

 

Sonhos

Mentiras

Taça de cristal

Punhal

 

 

Read Full Post »

.

.

Castelos

gélidos

  

A cada passo

sombras movediças

a cada degrau

gemidos

  

Quadros que olham

 que zombam

sussurram

  

Atrás de cada porta

um incesto

demônios extasiados

em gozos sem cor

  

Atrás de cada grade

um calabouço

em cada porão

instrumentos polidos

tortura

  

Em todas as noites

urros lacerados

morte lenta

  

E quando o dia traz à luz

janelas escancaradas

não há como acreditar

que ainda exista

atrás de cada cortina

um punhal

 

 

Read Full Post »

Semeador

  

Encontrei-te

às margens de um rio

daquele onde guardas tua alma

 

Na quietude do instante

pressenti que conversavas

com o tempo

 

Depois, mais atenta

vi que choravas

como a correnteza

e o vento

 

Quis aproximar-me

sorrir-te

acalentar-te

com um carinho de luz

 

Pensei até em beijar-te

mas estanquei bruscamente

quando vi em tuas mãos

um punhal

 

Desesperei-me, corri

e só então vi

que plantavas mais uma árvore

aos pés de outra

 

No brilho de teus olhos

na emoção de tuas lágrimas

senti que ali permanecerias

até o primeiro fruto

 

 

 

 

Read Full Post »

sussurros cortam ventos

como agulhas pontiagudas

enterrando-se nas palmas das mãos

 

portas abertas batendo temporais

névoa densa no tempo

e nos olhos

 

grito meu silêncio

entre montanhas assustadoras

e íngremes

 

lacero as roupas no varal

de uma só vez

com o punhal de prata que roubei

 

sinto meus apelos e desesperos

dependurados nos arames farpados

empapados de suor e medo

 

mas onde estás, disseram-me,

é branco, é leve

é terno e eterno

 

mas enxergas minha dor?

se verdade

leva-me contigo

 

liberta para sempre

esta minha alma doente

 de paixão e saudade

 

 


 

Read Full Post »